Blog dos Poetas

Soneto Antigo

de

Responder a perguntas não respondo.
Perguntas impossíveis não pergunto.
Só do que sei de mim aos outros conto:
de mim, atravessada pelo mundo.

Toda a minha experiência, o meu estudo,
sou eu mesma que, em solidão paciente,
recolho do que em mim observo e escuto
muda lição, que ninguém mais entende.

O que sou vale mais do que o meu canto.
Apenas em linguagem vou dizendo
caminhos invisíveis por onde ando.

Tudo é secreto e de remoto exemplo.
Todos ouvimos, longe, o apelo do Anjo.
E todos somos pura flor de vento.

postado por em 16-08-2009
Compartilhar

5 Comentários para “Soneto Antigo”


  1. Ediloy Antonio Carlos Ferraro disse:

    …a poetisa nos conduz para algumas verdades: só podemos falar a partir de nossas próprias vivências. Nestes reflexivos versos, de beleza e atualidade, com maestria joga nos sentidos das palavras, transportando-nos em seus labirintos…obra de rara inventividade e filosófica mensagem.


  2. JOSÉ FRANCISCO DE SOUZA disse:

    http://poetazedelol.blogspot.com

    POETA ZÉ DE LOLA: CIDADE: EQUADOR RN.

    POESIA:
    CONVERSANDO COM OS PÁSSAROS.

    I
    Mim diga o motivo
    Conseqüência ou razão
    Algum crime eu pratiquei?
    Ou serei algum ladrão?
    Se não sou um delinquente
    Mim diga aí seu demente
    Por que estou na prisão?
    II
    Existem organizações
    Pra cuidar dos animais,
    Mas permite uma licença
    Veja só o que se faz
    Você paga um tostão
    O bicho vai pra prisão
    Não se solta nunca mais.
    III
    Não há motivo qualquer
    Que possa justificar
    Tirar nossa liberdade
    Que a natureza nos dá
    É uma grande covardia
    Praticada dia a dia
    Quando isso vai parar?
    IV
    Ninguém por preço nenhum
    Quer que viver engaiolado
    Até mesmo um criminoso
    Contrata um advogado
    Pra fazer sua defesa
    E às vezes com sutileza
    Ele solta um culpado.
    V
    “Coloque-se” em nosso lugar
    Use sua consciência
    Fique preso numa gaiola
    Faça uma experiência
    Pra burrice tem limite
    Por que você não admite
    Essa sua incoerência?
    VI
    O pássaro vive feliz
    Em seu habitat natural
    Os homens ignorantes
    Que gostam de fazer mal
    Tira sua liberdade
    E esta imbecilidade
    Eles acham que é normal.
    VII
    Se eu fosse funcionário
    Da defesa ambiental
    Ficaria muito triste
    Por ver como é natural
    O crime que é praticado
    Como está sendo depredado
    O nosso reino animal.
    VIII
    Oh! Como seria bom
    Que o homem se ligasse
    Respeitasse a diferença
    Que existe em outra classe
    Depredar a natureza
    É uma indelicadeza
    Seria bom que mudasse

    http://poetazedelola.blogspot.com
    POETA ZE DE LOLA:

    CIDADE; EQUADOR RN

    POESIA:

    COM CHIFRE SOU MAIS FELIZ:

    I
    Neste mundo chifrológico
    Chifre vai e chifre vem,
    Tem chifre pra todo mundo
    Não vai faltar pra ninguém,
    Pode esperar o castigo,
    O que aconteceu comigo
    Virá pra vocês também.
    II
    Epidemia de chifre
    Pega rico e pega pobre,
    É chifre na classe plebe
    E chifre na classe nobre,
    É chifre pra todo mundo,
    Até mesmo um vagabundo
    Leva chifre e não descobre.
    III
    Veja o conselho que dou
    Para toda cornarada,
    Quando souber que é corno
    Não faça muita zoada,
    Deixe o povo comentar,
    Fale quem quiser falar
    Finja não saber de nada.
    IV
    Se tu sais pra trabalhar
    Em um lugar bem distante,
    E deixas em tua casa
    Uma mulher elegante,
    Não ficas preocupado,
    Pois tu serás enfeitado
    Terás um chifre gigante.
    V
    Sejas tu um corno forte
    E não um corno sofredor,
    Amas tua chifronilda
    Trata a ela com amor,
    Cuida bem da vida dela,
    Mesmo que seja banguela
    Aquela que te chifrou.

    VI
    Chifre é a coisa mais bonita
    Que Deus criou para o homem,
    Com um grande pá de chifres
    Eu me sinto um super-homem,
    Se eu não fosse um corno feliz,
    Como a natureza quis
    Eu seria um lobisomem.
    VII
    Corno pra que cara feia
    Dá um sorriso pra ela,
    Abraça a quem chifrou
    E digas você é bela
    Agora tu és um boim,
    Começa comer capim
    Junto com sua cadela.
    VIII
    Muitos estudos são feitos
    Sobre a chifrologia,
    Ninguém consegue explicar
    Nem mesmo a psicologia,
    É melhor se conformar,
    Cornos vamos festejar
    Com paz amor e alegria


  3. Gilsena disse:

    Parabéns pela sutileza em que “brinca ” fazendo poesia, rima seus versos e transmite alegria!

    Um abraço.


  4. Leopoldina disse:

    que linda poesia… amo Cecília, ela me traduz em momentos!


  5. thiago disse:

    Caro amigo

    Com único intuito de divulgar os grandes escritores
    e grandes livros Potiguares , agora existe um espaço para valorizar as nossas obras literárias.

    Peço a voce gentilmente , que divulgue esse trabalho sem fim lucrativo, que quer apenas valorizar as obras e os autores da nossa terra. Todos os homenageados vivos, estão sendo comunicados e estão muito felizes .

    Muitos dos grandes livros e autores do RN precisam ser reeditados e relançados urgentemente, é preciso chamar atenção dos governos estadual e municipal para essa causa .

    Essa luta é de todos os Potiguares

    101 livros do RN (que você precisa ler).

    http://101livrosdorn.blogspot.com/

    Grato

Deixe Seu Comentário