Blog dos Poetas

Rios e Pântanos

de

Muita vez houve céu dentro de um peito!
Céu coberto de estrelas resplendentes,
Sobre rios alvíssimos, de leito
De fina prata e margens florescentes…

Um dia veio, em que a descrença o aspeito
Mudou de tudo: em túrbidas enchentes,
A água um manto de lodo e trevas feito
Estendeu pelas veigas recendentes.

E a alma que os anjos de asa solta, os sonhos
E as ilusões cruzaram revoando,
– Depois, na superfície horrenda e fria,

Só apresenta pântanos medonhos,
Onde, os longos sudários arrastando,
Passa da peste a legião sombria…

postado por em 18-07-2010
Compartilhar

4 Comentários para “Rios e Pântanos”


  1. EDILOY A C FERRARO disse:

    …a magistral imagem que se antagoniza, entre o rio de fina prata transformado em lodo nas enchentes, trazem as reflexões de Olavo Bilac, carpintaria de escultor das letras, imortal sempre em sua obra intensa…


  2. Anselmo disse:

    Legal saber que temos um blog com enfase em poesia….muito bom para pesquisa e conhecimento!

    Anselmo (minervapop.blogspot.com)


  3. j.nunez disse:

    a literatura brasileira é realmente muito rica e não deve nada a outras literaturas de outros paises.


  4. Jussara Batista disse:

    Lindo blog, també gosto muito de poesias e sou novata aqui na web, mas quando puderem visitem meu blog
    http://www.caligraphias.blogspot.com
    grande abraço a todos.
    Jussara

Deixe Seu Comentário