Blog dos Poetas

Dia do Juízo

de

O alegre do dia entristecido,
O silêncio da noite perturbado
O resplandor do sol todo eclipsado,
E o luzente da lua desmentido!

Rompa todo o criado em um gemido,
Que é de ti mundo? onde tens parado?
Se tudo neste instante está acabado,
Tanto importa o não ser, como haver sido.

Soa a trombeta da maior altura,
A que a vivos, e mortos traz o aviso
Da desventura de uns, d’outros ventura.

Acabe o mundo, porque é já preciso,
Erga-se o morto, deixe a sepultura,
Porque é chegado o dia do juízo.

postado por em 11-07-2010
Compartilhar

5 Comentários para “Dia do Juízo”


  1. David disse:

    Nossa, estas palavras são fortes e destemidas.
    Bacana!


  2. EDILOY A C FERRARO disse:

    …exuberante como o trombetear de alvíssaras, anuncia a hora derradeira com a picardia de um sutil sarcasmo que tanto particulariza o autor, obra eterna e rica.


  3. Grispino disse:

    Olá! Estamos te seguindo e gostaria de te convidar para nos seguir também! Parabens pelos seus textos! Conheça o nosso trabalho também! Abraços!


  4. Tatiana disse:

    Alguém poderia me responde o que o Gregório de Matos quis fala com esse poema? Preciso apresenta um trabalho e não entendi


  5. magno disse:

    tatiana. o que ele quiz dizer é que um dia chegara o dia do juizo que de tal forma sera julgado todos pelos pecados cometidos aqui na terra..e pela sua vida terrena aqui neste mundo porque nao sou deste mundo mas estou vivendo neste mundo que irei partir depois para a vida eterna..e assim é o julgamento final.

Deixe Seu Comentário