Blog dos Poetas

A Flor do Cárcere

de

Nascera ali – no limo viridente
Dos muros da prisão – como uma esmola
Da natureza a um coração que estiola –
Aquela flor imaculada e olente…

E ele que fôra um bruto, e vil descrente,
Quanta vez, numa prece, ungido, cola
O lábio seco, na úmida corola
Daquela flor alvíssima e silente!…

E ele – que sofre e para a dor existe –
Quantas vezes no peito o pranto estanca!..
Quantas vezes na veia a febre acalma,

Fitando aquela flor tão pura e triste!…
– Aquela estrela perfumada e branca,
Que cintila na noite de sua alma…

postado por em 27-09-2007
Compartilhar

4 Comentários para “A Flor do Cárcere”


  1. Lucas disse:

    Ola, este blog que postei ai emcima é de otimos poetas novos brasileiros, entrem e deem uma conferida, abraco a todos.


  2. Rita de Cassia Antunes Brito disse:

    Comentar Euclides da Cunha… sua obra é de uma grandeza imensa para quem tem interesse de conhecer parte importante da nossa história. Pena que o Brasil não conheça a obra desse gênio brasileiro.


  3. tamara da silva disse:

    eu queria saber se essa é uma obra de euclides da cunha


  4. Istefanica disse:

    é muito lindo este poema

Deixe Seu Comentário