Blog dos Poetas

Saudade

de

Nas horas mortas da noite
Como é doce o meditar
Quando as estrelas cintilam
Nas ondas quietas do mar;
Quando a lua majestosa
Surgindo linda e formosa,
Como donzela vaidosa
Nas águas se vai mirar!

Nessas horas de silêncio
De tristezas e de amor,
Eu gosto de ouvir ao longe,
Cheio de mágoa e de dor,
O sino do campanário
Que fala tão solitário
Com esse som mortuário
Que nos enche de pavor.

Então — Proscrito e sozinho —
Eu solto aos ecos da serra
Suspiros dessa saudade
Que no meu peito se encerra
Esses prantos de amargores
São prantos cheios de dores:
— Saudades — Dos meus amores
— Saudades — Da minha terra!

postado por em 24-10-2005
Compartilhar

  • Anonima rs

    Que é trackback?

  • http://sitedepoesias.com.br/poetas/peka Ederson Peka

    Definições de Trackback na internet:
    Sistema presente em alguns CMS mais recentes que, explicando de forma muitíssimo simplificada, permite que um post sobre um tópico surja sob a forma de comentário a um post sobre o mesmo tópico noutro weblog.
    http://www.google.com/search?hl=pt-BR&q=define%3Atrackback

  • Carine

    Esse poemaa é fabuloso. É um poquinho do que estou sentindo. Saudadee de pessoas pelas quais eu deixei no Rio de Janeiro, e sinto muita falta. Agora estou morando na Bahia. Maiis enfim sinto muita falta dessas pessoas e me identifiquei muito com a poesia de Casimiro de Abreu (Saudade)

  • http://www.blogdoediloy.blogspot.com Ediloy Antonio Carlos Ferraro

    “…que saudades tenho da aurora de minha vida, de minha infância querida que os anos não trazem mais…”

    O autor nos arrasta em sua voraz melancolia, entristece seu lindo cantar, coloca suas dores como nossas e na pujança dolorida de seu canto nos acalenta em seus sofridos versos tristes…

  • Suzy

    poema maravilhoso, tive que fazer um trabalho de escola sobre ele!

  • http://blogdepoemas jennifer lopes

    da laranja quero agoma
    do limao quero um pedaço
    do menino mais bonito
    quero um beijo e m abraço

  • Mario Rogeri Montipó

    Procuro uma poesia de infância sobre saudade que é, mais ou menos, assim: Saudade palavra doce/que traduz tanto amargor/saudade é como se fosse/espinho cheirando a flor/saudade,ventura ausente/um bem que longe se vê/uma dor que o peito sente/sem saber como e por que. Se, por ventura, alguém souber completa, ficarei muito grato em receber. Abraços – Montipó.

  • Nilda Cabral

    Também estou à procura dessa poesia, de Olavo Bilac da minha infância. ‘SAUDADE” .QUEM SOUBER, P/ FAVOR REPASSE COMPLETA.

  • Jane Bispo

    Saudade

    Saudade – palavra doce,

    Que traduz tanto amargor,

    Saudade é como se fosse

    Espinho cheirando a flor.

    Saudade – ventura ausente,

    Um bem que longe se vê,

    Uma dor que o peito sente,

    Sem saber como e porquê.

    Um desejo de estar perto,

    De quem está longe de nós;

    Um ai que não sei ao certo

    Se é um suspiro ou uma voz.

    Um sorriso de tristesa,

    Um soluço de alegria,

    O suplício da incerteza

    Que uma esperança alivia.

    Nessas três sílabas há de

    Caber toda uma canção,

    Bendita a dor da saudade

    Que faz bem ao coração.

    Um longo olhar que se lança

    Numa carta ou numa flor;

    Saudade, irmã da esperança,

    Saudade, filha do amor.

    Uma palavra tão breve,

    Mas tão longe de sentir!

    E há tanta gente que a escreve

    E a não sabe traduzir.

    Gosto amargo de infelizes

    Foi como a chamou Garret;

    Coração calado, dizes

    Num suspiro o que ela é.

    A palavra é bem pequena,

    Mas diz tanto, de uma vez!

    Por ela valeu a pena

    Inventar-se o português.

    Saudade – um suspiro, uma ânsia,

    Uma vontade de ver

    A quem nos vê, a distância,

    Com olhos de bem querer.

    A saudade é calculada,

    Por algarismos também:

    Distância multiplicada,

    Pelo fator – querer bem.

    A alma gela-se de tédio,

    Enchem-se os olhos de ardor.

    Saudade – dor que é remédio

    Remédio que aumenta a dor!.