Blog dos Poetas

Vida Obscura

de

Ninguém sentiu o teu espasmo obscuro,
ó ser humilde entre os humildes seres.
Embriagado, tonto dos prazeres,
o mundo para ti foi negro e duro

Atravessaste no silêncio escuro
a vida presa a trágicos deveres
e chegaste ao saber de altos saberes
tornando-te mais simples e mais puro.

Ninguém te viu o sentimento inquieto,
magoado, oculto e aterrador, secreto,
que o coração te apunhalou no mundo.

Mas eu que sempre te segui os passos
sei que cruz infernal prendeu-te os braços,
e o teu suspiro como foi profundo!

postado por em 06-02-2008
Compartilhar

6 Comentários para “Vida Obscura”


  1. carina disse:

    eu gostei do poema mas achei um pouco triste


  2. Sra. Vate disse:

    Belo… belo…
    Adorei este blog!^ ^
    Gostaria de ver mais coisas sobre byronismo e 2° etapa do romantismo…
    uma diquinha… rsrs

    Abraço!


  3. Paula disse:

    Cruz e Sousa se faz Mestre demonstrando sentimentos de forma singular….
    Este é um dos poemas que leio e vejo a mim mesmo nos versos…..


  4. ALEXANDRE disse:

    AMO ESTE POEMA… É A MINHA VIDA.


  5. FABRICIO ALVES disse:

    QUE MAGNIFICO POEMA! QUE GRANDE GENIO! SEM DUVIDAS, O POETA QUE EU MAIS GOSTO E NA MINHA OPINIÃO, UM DOS 10 MAIORES POETAS DA HISTORIA DA LITERATURA.


  6. EDILOY A C FERRARO disse:

    A costura dos versos que encantam neste soneto, trazendo a força dramática, teatral, arrebatadora, pulsa e frene com vigor inconteste…

Deixe Seu Comentário