Blog dos Poetas

Traduzir-se

de

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir-se uma parte
na outra parte
-que é uma questão
de vida ou morte-
será arte?

postado por em 28-05-2007
Compartilhar

4 Comentários para “Traduzir-se”


  1. Ediloy Antonio Carlos Ferraro disse:

    ….tai, poeta, somos um Todo em Partes…não somos únicos em nós, mas partes únicas de um Todo…fracionado em partes que o totalizam com suas contradições…sem dúvida conseguir expressar este caos íntimo, em palavras, seja a arte… na música, na pintura e nas demais formas de expressão onde o Ser transbordante de si mesmo quer partilhar com todos o seu rico interior, suas divagações, cogitações filosóficas…


  2. Micheline Silva disse:

    Poesia linda em que descobri esse excelente escritor e conseqüentemente este Blog. Riquezas que nos fazem refletir no nosso ser , nos nossos atos e nosso juízo sobre as pessoas que acredito como esse escritor que são um conjunto de pensamentos de acordo com a necessidade e oportunidade. Somos vários seres em um.E esse extremo é fantástico colocado aqui por esse autor.Adorei.


  3. leehh S2 marimoon disse:

    amei essa poesia é perfeita^^


  4. veronica disse:

    Ferreira Gullar em Traduzir-se é alimento para alma.

Deixe Seu Comentário