Blog dos Poetas

Soneto XXIII

de

Como no palco o ator que é imperfeito
Faz mal o seu papel só por temor,
Ou quem, por ter repleto de ódio o peito
Vê o coracao quebrar-se num tremor,
Em mim, por timidez, fica omitido
O rito mais solene da paixão;
E o meu amor eu vejo enfraquecido,
Vergado pela própria dimensão.
Seja meu livro então minha eloqüência,
Arauto mudo do que diz meu peito,
Que implora amor e busca recompensa
Mais que a língua que mais o tenha feito.
Saiba ler o que escreve o amor calado:
Ouvir com os olhos é do amor o fado.

(Tradução: Barbara Heliodora)
postado por em 13-06-2006
Compartilhar

10 Comentários para “Soneto XXIII”


  1. Chris disse:

    É possível eu participar do site/blog???


  2. Athos disse:

    Perfeito!
    Eu amo Shakespeare!!
    Publiquem mais poemas dele, por favor!


  3. Taamires disse:

    Adorooo Muitoo Shakespeare

    Amoo Todas as Seus Poemaas

    Goostariia dee Qee Publicassem Maaais doos Mesmoos !

    By.: Taamires


  4. Ju disse:

    so beatiful!just perfect


  5. andressa disse:

    adorei todos poemas eu muitos desses e adorei cada um! vlw por ter esses lindos poemas que alegra a minha vida…


  6. BRUNA disse:

    AMOO SHAKESPEARE POR FAVORR PUBLIQUEMM MAISS SONETOSS DELE ….

    bJOSSS bRUHH


  7. daiane disse:

    esse poema eu peguei só pra fazer um trabalho de escola mas eu adorei esse poema é lindo!
    OBRIGADO


  8. FABRICIO ALVES disse:

    SENSACIONAL! O MAIOR POETA QUE JA EXISTIU PRA MIM, JUNTO COM CAMOES. NO MAIS, CONCORDO COM A BRUNA : MAIS SHAKESPEARE PRA AMOLECERMOS NOSSAS ALMAS.


  9. Fernanda Galvão. disse:

    William Shakespeare *-*
    Amo, amo, amo, amo, amo.
    Perfeito demais.
    Publiquem mais *o*
    Agradeço desde já.
    Beijo ;*
    By: Fernanda Galvão.


  10. djaner disse:

    só poderia ser do maior escritor de todos os tempos!!!

Deixe Seu Comentário