Blog dos Poetas

Soneto Inglês N° 1

de

Quando a morte cerrar meus olhos duros
– Duros de tantos vãos padecimentos,
Que pensarão teus peitos imaturos
Da minha dor de todos os momentos?
Vejo-te agora alheia, e tão distante:
Mais que distante – isenta. E bem prevejo,
Desde já bem prevejo o exato instante
Em que de outro será não teu desejo,
Que o não terás, porém teu abandono,
Tua nudez! Um dia hei de ir embora
Adormecer no derradeiro sono
Um dia chorarás… Que importa? Chora.

Então eu sentirei muito mais perto
De mim feliz, teu coração incerto.

postado por em 26-06-2011
Compartilhar

9 Comentários para “Soneto Inglês N° 1”


  1. marilene disse:

    muito profundo esse poema


  2. EDILOY A C FERRARO disse:

    …Que importa, na nossa ausência, que outro alguém se aposse do que nunca foi nosso, realmente ?, mas que a morte, anistiando corações comprometidos, deixa-os livres para outros viventes, mesmo que nas saudades ainda se lembre do amor que se despediu…Coisas de fustigar a dor, tão próprios dos poetas em suas sensibilidades…


  3. Victor disse:

    O que pode ser dito como morte?
    A morte pode ser a ilusão
    Uma ilusão utópica
    A ilusão de vários destinos tentando se comprender….


  4. joana disse:

    adorei esse poema


  5. joana disse:

    nossa que poeta


  6. Douglas disse:

    olá, criei um blog com os meus poemas há pouco tempo, se possível dê uma olhada doquesaofeitosospoetas.blogspot.com

    muito legal seu blog.

    abs


  7. nathalia disse:

    http://paraneura.blogspot.com/, meu blog da uma olhada tb!
    o seu é muito bom


  8. Graça Carpes disse:

    “Então eu sentirei muito mais perto
    De mim feliz, teu coração incerto”
    ….

    … Incerto é sempre, o amor.


  9. Sandra Freitas disse:

    Sim, o amor é sempre incerto. Bela dialética.

    Crie o meu blog tbm a pouco tempo… gosto de estar nomeio de poetas.

    Abraços e sucesso!

Deixe Seu Comentário