Blog dos Poetas

Soneto de Natal

de

Um homem, – era aquela noite amiga,
Noite cristã, berço do Nazareno, –
Ao relembrar os dias de pequeno,
E a viva dança, e a lépida cantiga,

Quis transportar ao verso doce e ameno
As sensações da sua idade antiga,
Naquela mesma velha noite amiga,
Noite cristã, berço do Nazareno.

Escolheu o soneto… A folha branca
Pede-lhe a inspiração; mas, frouxa e manca,
A pena não acode ao gesto seu.

E, em vão lutando contra o metro adverso,
Só lhe saiu este pequeno verso:
“Mudaria o Natal ou mudei eu?”

postado por em 25-12-2008
Compartilhar

3 Comentários para “Soneto de Natal”


  1. Bruno/bauru-sp disse:

    Ow eu curi e queria convidar vcs para verem o meu blog lá tem poesias da nova geração vlw galera…


  2. sonia disse:

    É preciso viver o sonho e a certeza de que tudo vai mudar.
    É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os desejos não precisam de razão, nem os sentimentos, de motivos.
    O importante é viver cada momento e aprender sua duração,
    pois a vida está nos olhos de quem sabe ver…
    Desejo que no ano que vem, você…
    Realize todos os seus sonhos;
    Descubra a cada dia coisas novas para realizar esses sonhos…
    Não tenha medo de viver o momento em que eles acontecerem;
    E, nesses momentos, descubra novos sonhos.
    Feliz Ano Novo!


  3. caio vinicios costa disse:

    muito bonito so neto de natal muito bom

Deixe Seu Comentário