Blog dos Poetas

Soneto da Virgem

de

Passei ontem a noite junto dela.
Do camarote a divisão se erguia
Apenas entre nós – e eu vivia
No doce alento dessa virgem bela…

Tanto amor, tanto fogo se revela
Naqueles olhos negros! só a via!
Música mais do céu, mais harmonia
Aspirando nessa alma de donzela!

Como era doce aquele seio arfando!
Nos lábios que sorriso feiticeiro!
Daquelas horas lembro-me chorando!

Mas o que é triste e dói ao mundo inteiro
É sentir todo o seio palpitando…
Cheio de amores! e dormir solteiro!

postado por em 29-05-2011
Compartilhar

2 Comentários para “Soneto da Virgem”


  1. EDILOY A C FERRARO disse:

    …Alvares de Azevedo, da escola Romântica, morreu jovem, aos 21 anos, acometido pelo mal do século à época, a tuberculose. Precoce, foi contista, dramaturgo e, claro, um poeta inspirado. Seus textos, geralmente tristes e solitários, tem uma cadência belíssima, tal como vemos neste soneto.


  2. Rafaela disse:

    Alvares de Azevedo é um dos melhores poetas, quando vc le uma das poesias dele vc consegue saber mais ou menos oq ele sentia quando a escreveu

Deixe Seu Comentário