Blog dos Poetas

Sonetilho do Falso Fernando Pessoa

de

Onde nasci, morri.
Onde morri, existo.
E das peles que visto
muitas há que não vi.

Sem mim como sem ti
posso durar. Desisto
de tudo quanto é misto
e que odiei ou senti.

Nem Fausto nem Mefisto,
à deusa que se ri
deste nosso oaristo,

eis-me a dizer: assisto
além, nenhum, aqui,
mas não sou eu, nem isto.

postado por em 15-10-2007
Compartilhar

8 Comentários para “Sonetilho do Falso Fernando Pessoa”


  1. andreia de souza disse:

    eu gostei muito do poema queria ver mais obrigado!


  2. Nós... do Riachuelo disse:

    Essa poema, assim como os outros são lindos…
    Todos poemas são otimas a leitura tráz grandes conhecimentos a nossa vida.
    Um bju a todos e leiam mto.


  3. blogdobloom.blogspot.com disse:

    q poema bobo

    adoro Drummond

    e minha família respeita muito ele, mas, ele escreveu isso pra tirar com Fernando Pessoa

    teria ele, inveja da personalidade não-marcante dele??

    ele sim, queria escrever com a maestria com que Pessoa escrevia

    por si mesmo, por Caeiro, por Álvaro, por Bernardo, por Reis, e por muitos outros…

    não me pregue na cruz

    eh a minha singela opinião


  4. Ederson Peka disse:

    Bloom, eu não tinha entendido o poema como uma “tirada”, não… Pra mim parece mais até uma homenagem… 😐

    Obrigado pelo comentário.


  5. Gui bLOm : . disse:

    eu estava completamente equivocado

    rsrsrs.. tanto que, vou postar este poema no .:BlogDoBlOom:.

    obrbigado digo eu!! por ser cordial, viu Ederson, por ser educado comigoOOo
    ahuiahuiahuiauhuiaaa

    às vezes eu sou mesmo meio prepotente, depois volto atrás como estou fazendo agoraaa

    visite meu blog

    blogdobloom.blogspot.com

    adorei o seu Blog


  6. Erick disse:

    não chega a ser uma homenagem, mas também não é uma “tirada”, nao! fernando pessoa pegou as “pedras” em seu caminho para construir um castelo, coisa que o drummond não pensou em fazer… embora eu não goste do drummond-poeta, o drummond-cronista é o melhor do brasil na minha opiniao!


  7. silvana disse:

    Senti que foi a maior homenagem feita ao amigo poeta. Um poeta é “Um fingidor” se veste com mil “peles” para mergulhar em sentimentos… a humildade de Drummond foi profunda em reconhecer no Poeta Fernando Pessoa um mestre!


  8. Pacco disse:

    O problema do sonetilho, é a falta de metrificação. Sem ritmo… Aonde iremos “sincopar”?
    Contudo, um poema “interessante”!

    Parabéns pelo Blog!

    CHAROLA

    Os “maestros” em São Paulo,
    ‘Stão regendo na charola!…
    Mas não sabem tocar Aulo…
    Nem tampouco uma Viola!

    Se a batuta é um obstáculo…
    Metem o “pau” na curriola!…
    Isso vira um mor espetáculo…
    Quando tombam na gaiola!

    A surdez é tão fremente… —
    Que enrubesce a cavatina!…
    “Rola” um som tão deprimente,

    — Por debaixo da cortina….
    Mas, os tais proeminentes…
    Vão “reger” na mor surdina!

    Pacco

Deixe Seu Comentário