Blog dos Poetas

Se Eu Morresse Amanhã

de

Se eu morresse amanhã, viria ao menos
Fechar meus olhos minha triste irmã;
Minha mãe de saudades morreria
Se eu morresse amanhã!

Quanta glória pressinto em meu futuro!
Que aurora de porvir e que manhã!
Eu perdera chorando essas coroas
Se eu morresse amanhã!

Que sol! que céu azul! que doce n’alva
Acorda a natureza mais louçã!
Não me batera tanto amor no peito
Se eu morresse amanhã!

Mas essa dor da vida que devora
A ânsia de glória, o dolorido afã…
A dor no peito emudecera ao menos
Se eu morresse amanhã!

postado por em 05-05-2005
Compartilhar

59 Comentários para “Se Eu Morresse Amanhã”


  1. EDILOY A C FERRARO disse:

    …Não é o melhor dos poemas deste autor, de alma juvenil e intensa, tão cedo levado pela tuberculose, o que ressalta como beleza em seus versos é a elegância das palavras, ritmadas, quase cantadas em uma música desencadeada na leitura, antes a forma que o conteúdo se sobressai nestes versos, perpétuos antes pela sinfonia a gracejar-nos os sentimentos…


  2. Thiago Galdino disse:

    O poema é muito bom, sem contar também a aula na S.T.E que foi maravilhosa…..


  3. brenda disse:

    sou louca pra escrever um desses


  4. lorraine disse:

    Não ha palavras para descrever esse poema perfeito… : )


  5. rosany disse:

    alvares por ter tido uma vida tao curta nos deixou, com um livro de poesias lindas e maravilhosas sem comentar que essa poesia ”se eu morresse amanhã ” foi uma das melhores muito linda sem falar no que todos voces precisam ler ”A LIRA DOS VINTE ANOS’


  6. maria aparecida vieira disse:

    simplesmente lindo,muito lindo.


  7. FRANCISCA disse:

    OLÁ,IREI DEIXAR UM POEMA DE MINH AUTORIA PARA TÃO SAGRADO POETA…

    TARDE QUENTE!

    A essas ervas tantas…

    Verdes,longas,eternas…!

    A essas ervas tantas,tão velhas,tão tortas,

    Tão verdes ervas…!

    A estas ervas que tontas

    Tão verdes,tão etéreas,

    Tão tantas, que entontecem a mim…

    A estas ervas tontas,verdes,

    Que me deixaram

    Ébria,mas lúcida

    Para ver,escutar,

    Pulsar,cuidar…

    A estas ervas tantas,verdes,

    Tão naturais e acordes.

    Que me deixaram tonta,verde,,

    E verde,tonta,lúcida..

    E tonta,verde,verdadeira,

    E pasmada como um bananeiral,

    Uma palmeira,erguida,de pé,

    No chão….

    Como um bananeiral,

    Tonto,verde,fresco e quente…

    Deixo meus sabores de

    Menina,falsa,lúgubre,rosa

    E branca….deixo esses suspiros,para

    Mais tarde a tornar tonta,crua,a estar

    Em pé,no chão como

    Um bananeiral….

    Tonto!!!!


  8. leonardo guilherme de azevedo disse:

    muito
    lindo
    o
    texto
    amei.


  9. leonardo guilherme de azevedo disse:

    muito lindo o texto amei

Deixe Seu Comentário