Blog dos Poetas

Renúncia

de

Chora de manso e no íntimo… Procura
Curtir sem queixa o mal que te crucia:
O mundo é sem piedade e até riria
Da tua inconsolável amargura.

Só a dor enobrece e é grande e é pura.
Aprende a amá-la que a amarás um dia.
Então ela será tua alegria,
E será, ela só, tua ventura…

A vida é vã como a sombra que passa…
Sofre sereno e dalma sobranceira,
Sem um grito sequer, tua desgraça.

Encerra em ti tua tristeza inteira.
E pede humildemente a Deus que a faça
Tua doce e constante companheira…

postado por em 17-10-2010
Compartilhar

4 Comentários para “Renúncia”


  1. eduardotornaghi disse:

    Parceiros

    Tem dois legítimos trovadores no

    http://papopoetico.blogspot.com/

    Mano Melo e Manuel Bandeira contagiando o prazer de brincar.

    Divirtam-se
    E espalhem
    A Poesia é necessária


  2. EDILOY A C FERRARO disse:

    Com a habilidade de um mestre das palavras, Manuel Bandeira, nos arrasta em suas emoções, fazendo de sua a dor de quem o lê…prazer lê-lo, imortal e presente.


  3. Antonio Cícero da Silva(Águia) disse:

    Por ser mestre, o Manuel Bandeira, não deixa dúvidas de que realmente, sempre soube o que fazia…


  4. Henrique Guerreiro disse:

    Poema fantástico, de um grande poeta

Deixe Seu Comentário