Blog dos Poetas

Quanta vez o que resta…

de

Quanta vez o que resta da memória
é só um breve trecho de canção
a porta que se abre ao fundo do segredo
dócil subitamente à nossa mão

Quanta vez o que resta é essa frágil chave
perdida na algibeira da infância
que franqueia de novo os portais para a vida
que promete de novo um percurso à bonança

Extraído de Poesia dos Dias Úteis

postado por em 08-11-2008
Compartilhar

1 Comentário para “Quanta vez o que resta…”


  1. helena maria sandoval de miranda disse:

    OI CÉLIA! Tive vontade hoje de falar p´ra ti sobre” a frágil chave perdida na algibeira da infância “. Tão lindo! Mas , a afirmação de que “franqueia de novo os portais ” é metáfora para ninquém botar defeito. Tua seleção merece dez com louvor . Um abraço.Boommmmmmmm dia. Helena

Deixe Seu Comentário