Blog dos Poetas

Overmundo

de

Os pinheiros assobiam, a tempestade chega:
Os cavalos bebem na mão da tempestade.

Amarro o navio no canto do jardim
E bato à porta do castelo na Espanha.
Soam os tambores do vento.

“Overmundo, Overmundo, que é dos teus oráculos,
Do aparelho de precisão para medir os sonhos,
E da rosa que pega fogo no inimigo?”

Ninguém ampara o cavaleiro do mundo delirante,
Que anda, voa, está em toda a parte
E não consegue pousar em ponto algum.
Observai sua armadura de penas
E ouvi seu grito eletrônico.

“Overmundo expirou ao descobrir quem era”,
Anunciam de dentro do castelo na Espanha.
“O tempo é o mesmo desde o princípio da criação”,
Respondem os homens futuros pela minha voz.

Poesia Liberdade (1947)
postado por em 18-01-2006
Compartilhar

9 Comentários para “Overmundo”


  1. Carlos Matos disse:

    A morte em pó

    Estou a refletir se ainda posso regressar,
    Mas não sei se posso,
    Falecer sem um coração que vos pertence.

    Sei disso,
    Minha pele é o segredo,
    Que conserva o meu medo,
    O meu receio… O meu receio,
    De uma bomba hospedada no meu coração,
    Deixando-lhe em pedaços,
    Nadando no calor dos seus abraços,
    Desunindo duas vidas,
    Na dor sem dor, da minha imaginação,
    Sem escala,
    Sem a minha estrela,
    Nascendo e falecendo no lado interno,
    Do meu corpo.

    Sei que um dia, estarei partindo,
    Para sempre,
    Assim, todos estão a olvidar a minha imagem,
    De ontem, de amanhã, ou de agora,
    Obscura, sem lume,
    Desunindo-me,
    Do que seria a minha metade,
    Mas agora é tarde,
    É um vaga-lume
    Em meio a um negrume.

    Há um corpo celeste falecendo,
    Juntamente com a esperança,
    Juntamente com meus sonhos simplórios,
    Onde o pó é uma criança,
    E para o pó há de se retornar.

    (Carlos Matos)


  2. Sílvia Araújo Motta disse:

    MAQUIAVEL/MACHIAVELLI EM SONETO HERÓICO

    Soneto heróico ( 6ª e 10ª sílabas)
    Por Sílvia Araújo Motta

    Maquiavel quis (dar) lição le (gal)
    ao rei, ao povo ou (lí) der no po (der),
    republicano, um (ho) mem bom ou (mal)
    chefe tirano, (guer)ra viu ven (cer).

    Príncipe teve (chan) ce de a pren (der)
    porém não soube (ver) a luz cen(tral)
    que uma fortuna (po) de até man (ter)
    “virtú” sem ter va (lor) cristão mor (ral).

    Incompreendida a (ção) no tempo incer (to)
    tornou ciência e (lei) em cada Es (ta) do
    politizado o (réu) julgado é certo.

    Séculos vão pas (sar)… Virá a desordem…
    Para enfrentar a (lu) ta de um pas (sa) do,
    milícias vão treinar na (paz).. ter ordem.

    Belo Horizonte, 29 de junho de 2008.

    —***—


  3. Sílvia Araújo Motta disse:

    INCANSÁVEIS AMANTES DA PAZ-“I.N.C.A.P.A.Z.”

    Acróstico-tradicional Nº 1850
    Por Sílvia Araújo Motta

    I-Independente do idioma, a PAZ é universal…
    N-Na terra,no mar, nações ou espaço sideral.
    C-Catalão:pau;espanhol:paz;bretão: Peoc’h
    A-A Indonésia traduz: damai; Letônio: miers
    N-Na Grécia:ειρήνη Coreano:평화 Curdo:Aştî
    S-Saudações causam emoções;dão lições!
    Á-Árabe: سلا Feroês: friður; Frisão: freden

    V-Ver em Latim:pax; Polonês:pokój;
    E-Em Francês:paix; Húngaro: béke;
    I-Italiano:pace;Lituano:taika;Bósnio:mir
    S-Sérvio: mir; tcheco:mir; Croata:mir

    A-Ao brindar em Tagalo: kapayapaan
    M-Muita paz! Estoniano: rahu; Klingon:roj
    A-Alemão: Frieden Finlandês: rauha
    N-Na Rússia: мир Japonês: 平和
    T-Turco: Barış Tradicional Chinês: 和平
    E-Eslovaco:mier; holandês:vrede;
    S-Sueco:fred; romeno:pace; ucraniano: мир

    D-Dinamarquês: fred; Búlgaro: мир
    A-Albanês: paqe; Norueguês: fred;

    P-Paco:em Esperanto; hebraico: שלום
    A-A PAZ é fruto que faz reconciliação,
    Z-Zelar sem cansar por ela traz união.

    Belo Horizonte, 30 de junho de 2008


  4. Sílvia Araújo Motta disse:

    LIÇÕES DE NICOLAU MAQUIAVEL

    Acróstico-histórico-político-filosófico nº 1846
    Por Sílvia Araújo Motta

    L-Lições atemporais de Maquiavel estão imortalizadas:
    I-Inúmeros princípios marcaram a obra” O Príncipe”.
    Ç-Com certeza, os tempos mudam e as diretrizes também.
    Õ-O planejamento é importante antes de qualquer ação;
    E-É imprescindível a adaptabilidade tática, a ousadia,
    S-Senso crítico, determinação, poder de decisão, vontade.

    D-Dignas de confiança são poucas as pessoas, porque homens
    E-Em geral, são covardes, dissimulados, volúveis, ambiciosos.

    N-Na obra, Maquiavel sugere aos governantes ou ao príncipe
    I-Inúmeras formas para vencer os seus concorrentes:
    C-Conhecer bem os projetos do adversário faz chegar à vitória,
    O-Ordem e disciplina são importantes em qualquer embate.
    L-Lições para príncipes, sobre como se estabelece a tirania ,
    A-Ao mesmo tempo lições para o povo para dela se defender.
    U-Um conceito: realista da sociedade e utilitarista do Estado.

    M-Maquiavel acredita que os fatos do passado servem para
    A-A orientação do futuro. Valoriza a ação eficaz e imediata.
    Q-Quando desvincula a religião da ética rejeita a moral cristã,
    U-Um comportamento ético-cristão. Ao príncipe ideal,
    I-Indica as normas para conquistar e não perder o poder.
    A-A ética política deve ser julgada por circunstâncias
    V-Vividas, tendo em vista o resultado para o bem comum.
    E-É diferente a ética privada que pode apenas “parecer ser.”
    L-Ligado ao poder, o desafio está na relação fortuna e virtude.

    Belo Horizonte, 28 de junho de 2008.
    —***—


  5. Sílvia Araújo Motta disse:

    NICOLAU MAQUIAVEL REPUBLICANO

    Acróstico-histórico-político-filosófico: Nº 1847
    Por Sílvia Araújo Motta

    N-Nos “Comentários sobre a 1ª Década de Tito Lívio”
    I-Interpretações mostraram a preferência de Maquiavel e
    C-Confiança na superioridade das Repúblicas, sobre as
    O-Outras formas de governo sujeitas às mudanças.
    L-Liberdade deve deixar de ser sonho para tornar-se
    A-Algo desejado, voltado para os problemas da cidade.
    U-Um cidadão ativo não segue o cristão contemplativo.

    M-Maquiavel foi herdeiro do “humanismo cívico” mas
    A-Assim também, foi um de seus críticos mais ferozes:
    Q-Querem os homens, em sua natureza, desejar tudo, porém,
    U-Um descontentamento surge, pois a fortuna os impede,
    I-Indica os limites dos meios de conquistar suas fantasias.
    A-A natureza humana é governada por desejos insaciáveis.
    V-Vários conflitos econômicos ocorrem nas sociedades,
    E-Expostos pelo Corpo Político que se deixa corromper.
    L-Lições da Idade Média apostavam na ausência de conflitos.

    R-Reconhecida, a corrupção é um fenômeno universal
    E-Em que se encontram as maiores dificuldades do Poder;
    P-Pode-se dizer que seu efeito torna-se incontrolável.
    U-Uma constatação: nem todos os povos podem viver livres.
    B-Bem rápida é a marcha global do processo da corrupção
    L-Ligada à política responsável por seu desencadeamento.
    I-IGUALDADE deve ser compreendida como virtude pública:
    C-Como valor, encontra no elemento popular, seu maior benefício…
    A-Assim, a defesa do Regime Republicano popular como o melhor!
    N-Na verdade é o que consegue resistir à corrupção política, pois é
    O-O que favorece e sustenta a integridade das instituições públicas.

    Belo Horizonte, 28 de junho de 2008.
    —***—


  6. Sílvia Araújo Motta disse:

    MAQUIAVEL NÃO SUGERIU TIRANIA MAS CIÊNCIA POLÍTICA

    Acróstico-histórico-político-filosófico Nº 1845
    Por Sílvia Araújo Motta

    M-Maquiavel muda o contexto da Antiguidade,
    A-Aplica a Ciência Política na Modernidade,
    Q-Qualifica na sua tese centrada na TIRANIA,
    U-Uma inevitável reflexão sobre a democracia, com
    I-Importantes fundamentos de liberdade e servidão.
    A-A tirania abordada por PLATÃO deu aos medievais
    V-Várias idéias que foram imagens platônicas,
    E-E que o tirano não se preocupa com a razão alheia,
    L-Logo, por seu desejo é capaz de praticar atos vis e desmedidos.

    N-Na concepção de Platão, condena o TIRANO ao silêncio,
    Ã-Ao contrário da pretensão dos sofistas de discursos eficazes:
    O-Os diálogos apontam a influência e a lógica dos mais fortes.

    S-Seguramente, o campo político fica entre a paz e a desordem.
    U-Uma aparente TIRANIA que surge em forma de regimes legais,
    G-Garante o surgimento das aspirações do poder temporal,
    E-E à oposição própria do ideal republicano, divulga liberdade.
    R-Roma foi tomada por César, pelo poder, de forma legítima;
    I-Inovador, César não foi destruidor da liberdade romana.
    U-Um republicano tradicional trataria César como TIRANO.

    T-TIRANO recorre ao uso da arma tradicional da violência.
    I-Incompreendido, Nicolau Maquiavel não foi “maquiavélico.”
    R-Republicano, visualizou uma forma de GOVERNO no qual
    A-A democracia seria similar ao funcionamento cotidiano;
    N-Na verdade, as idéias de Maquiavel são ATEMPORAIS.
    I-Indicou aos TIRANOS os caminhos da ruína. As normas
    A-Apontadas para o governo de um PRÍNCIPE servem de

    M-Modelo que deve servir para a consolidação do PODER:
    A-Assumir o exercício do bom governo, ter o povo como amigo,
    S-Sempre ter boas idéias e boas armas, na paz preparar para a guerra,

    C-Consequentemente ser mau, quando necessário, ser também
    I-Impetuoso mais do que prudente; é perigoso ser liberal
    Ê-E deve fazer o mal de uma só vez e o bem aos poucos,
    N-Não se pode tornar causa da potência de outrem, deve
    C-Conquistar o povo, mantendo festas e espetáculos,
    I-Indicar aos outros a administração das coisas más,
    A-Administrar somente coisas boas reservadas para si,

    P-Parecer ter qualidades, deve ser leão e ser raposa…
    O-O que só usa a força não percebe nada do poder,
    L-Ligar-se aos grandes empreendimentos, dar exemplos raros,
    Í-Indispensáveis são os colaboradores sensatos, deve
    T-Tratar bem o verdadeiro amigo e ser verdadeiro inimigo,
    I-Importante é não ser odiado, basta fazer-se temido,
    C-Conscientizar-se da natureza dos homens maus e ingratos,
    A-Afirmando a autonomia do político, da força e da razão.

    Belo Horizonte, 28 de junho de 2008.
    —***—


  7. Sílvia Araújo Motta disse:

    NICOLAU MAQUIAVEL -NICCOLÒ MACHIAVELLI- NICOLAUS MACLAVELLUS-ITALIANO ESCRITOR POLÍTICO –FLORENTINO

    Acróstico histórico-político-filosófico Nº 1844
    Por Sílvia Araújo Motta

    N-Nicolau Maquiavel nasceu em Florença,
    I-Itália, em 03-05-1469 e faleceu:21-06-1527.
    C-Com o pai Bernardo Nicolau Maquiavel:
    O-O “doutor em leis” aprendeu a conviver com livros.
    L-Latim, ele redigia muito bem, aos doze anos.
    A-Aos vinte e nove anos tomou posse como Secretário:
    U-Um Cargo na Segunda Chancelaria de Florença.

    M-Maquiavel via a “virtú” em César Bórgia:vontade,
    A-Astúcia, energia, decisão, empenho, capacidade:
    Q-Qualidades fundamentais para qualquer príncipe.
    U-Um “príncipe jamais deve ser odiado por seu súditos.”
    I-Introduziu a nova distinção entre as formas de Estado:
    A-As Repúblicas ou os Principados Novos ou Hereditários.
    V-Virtude e Fortuna são vias para se chegar ao principado.
    E-Em mais de quatro séculos, pode-se afirmar que
    L-Ler “O Príncipe” é ver a ideologia e ciência política no seu tempo e

    I-Interpretar o sucesso e o insucesso das ações humanas;
    T-Tratou dos dois pólos: a virtude do agir adequadamente
    A-Ao momento adequado,conforme as condutas dos tempos.
    L-Limitou o outro pólo à fortuna que torna cegos os homens;
    I-Inseparáveis conceitos no exame da política de Maquiavel.
    A-Aconselhou a crença na verdade efetiva das coisas e a
    N-Não perder tempo imaginando repúblicas e monarquias inexistentes.
    O-O importante modo real do pensamento político moderno

    E-É fundamental à reflexão em relação à Ética do governante.
    S-Será bom para o príncipe manter sua palavra, viver
    C-Com integridade e não com “astúcia” (Cap. XVIII)
    R-Recorda a história que estes, acabam-se destruídos.
    I-Impossível ser virtuoso o tempo todo, mostra seu pensamento:
    T-Também não podemos passar a idéia de que somos viciosos:
    O-Os homens não possuem um padrão seguro de julgamento.
    R-Relações Humanas devem “parecer ser” e nem sempre ser.

    P-Para governar com sucesso , o príncipoe deve saber equilibrar
    O-O ser e o parecer ser; deve portanto, reportar leis e contratos.
    L-Liberdade era a idéia principal do interesse de Maquiavel,
    Í-Intimamente ligada à idéia clara de independência,
    T-Transformar o sonho na construção de uma república.
    I-Interpretou radicalmente contra o modelo cristão contemplativo.
    C-Considerou Roma a verdadeira República do passado.
    O-O regime de leis é uma república submetida à vontade do povo.

    F-Faz uma argumentação, como um ponto central
    L-Ligado à afirmação da universalidade da corrupção.
    O-Os dois eixos centrais do regime republicano
    R-Representam para o autor: a liberdade e a igualdade.
    E-E Maquiavel percebe que o conflito é inerente à política.
    N-Na conciliação dos interesses divergentes é que há paz.
    T-Trechos dos Comentários sobre Tito Lívio desenvolvem claramente,
    I-Idéias democráticas, que desmentem o mito do maquiavelismo.
    N-Na obra, analisa os riscos da corrupção, sobre interesses coletivos:
    O-O instrumento eficaz é a LEI que força o respeito ao bem comum.

    Belo Horizonte, 27 de junho de 2008.
    —***—


  8. amanda disse:

    Não teve a resposta que qeríamos!


  9. naidson disse:

    nao tem o que eu quero eu quero sobre a tirania

Deixe Seu Comentário