Blog dos Poetas

O Ninho

de

O musgo mais sedoso, a úsnea mais leve
Trouxe de longe o alegre passarinho,
E um dia inteiro ao sol paciente esteve
Com o destro bico a arquitetar o ninho.

Da paina os vagos flocos cor de neve
Colhe, e por dentro o alfombra com carinho;
E armado, pronto enfim, suspenso, em breve,
Ei-lo, balouça à beira do caminho.

E a ave sobre ele as asas multicores
Estende e sonha. Sonha que o áureo pólen
E o néctar suga às mais brilhantes flores;

Sonha… Porém, de súbito, a violento
Abalo acorda. Em torno as folhas bolem…
É o vento! E o ninho lhe arrebata o vento!

postado por em 21-08-2006
Compartilhar

6 Comentários para “O Ninho”


  1. Jureni de Farias Barella disse:

    O ninho é um dos mais belos sonetos que já li…


  2. josé Olyntho Filho disse:

    Flui, etérea, a Beleza nesses versos!…
    Sublime inspiração o envolve no momento
    Em que o vate retrata, com carinho,
    O instintivo amor de um passarinho.


  3. Juan Herdez disse:

    Aqui esteve, sol poente
    a realizar o sonho
    o mais puro, belo
    desejo de um destro.


  4. IALMAR PIO SCHNEIDER disse:

    Lindíssimo soneto do grande mestre parnasiano Alberto de Oliveira !
    Deixo um dos meus sonetos aqui e onde se encontra que é o site seguinte:
    http://www.sonetos.com.br/meulivro.php?a=44&x=5&y=8

    SONETO DE UM SOLITÁRIO

    Por que a solidão me faz tremer
    no escuro desta noite, sem ninguém?
    Oh! quem sabe, eu nasci para sofrer
    e tu que lês meus cânticos, também !…

    Minha mágoa não posso descrever;
    é uma vontade de possuir alguém
    e ao mesmo tempo a ela pertencer
    com toda força que minhalma tem.

    Eu sei que a madrugada chegará
    e o galo vai cantar; é o mensageiro
    a prenunciar o dia que amanhece.

    Maior tristeza que a minha não há:
    mas se fores feliz, sem desespero,
    não guardes estes versos e me esquece.

    Ialmar Pio Schneider


  5. IALMAR PIO SCHNEIDER disse:

    SONETO (em 22.03.97 – Canoas – RS)

    A noite ainda esconde os seus mistérios;
    é tempo de chorar pelos fracassos…
    As estrelas nos páramos sidéreos,
    indiferentes, seguem os meus passos.

    Quisera tanto agora teus abraços
    e receber assim sonhos etéreos,
    que devem existir pelos espaços
    para poetas que nem eu, aéreos !…

    Vem, ó Musa, consola o teu eleito,
    nestas horas noturnas de ansiedade
    em que sinto um delírio no meu peito !

    Antes que surja o sol à minha porta,
    aparece, matando-me a saudade,
    e a me provar que não estejas morta !…

    IALMAR PIO SCHNEIDER

    Site de sonetos:

    http://www.sonetos.com.br/sonetos.php?n=12944


  6. EDILOY A C FERRARO disse:

    Com esmero e sensibilidade retrata o heterônimo de Pessoa, metáfora que bem descreve o homem diante ao inusitado do imprevisível, onde o acalentando sonho em tudo pode transformar-se…

Deixe Seu Comentário