Blog dos Poetas

O Guardador de Rebanhos, V

de

O que penso eu do mundo?
Sei lá o que penso do mundo!
Se eu adoecesse pensaria nisso.

Que idéia tenho eu das cousas?
Que opinião tenho sobre as causas e os efeitos?
Que tenho eu meditado sobre Deus e a alma
E sobre a criação do Mundo?

Não sei. Para mim pensar nisso é fechar os olhos
E não pensar. É correr as cortinas
Da minha janela (mas ela não tem cortinas).

O mistério das cousas? Sei lá o que é mistério!
O único mistério é haver quem pense no mistério.
Quem está ao sol e fecha os olhos,
Começa a não saber o que é o sol
E a pensar muitas cousas cheias de calor.
Mas abre os olhos e vê o sol,
E já não pode pensar em nada,
Porque a luz do sol vale mais que os pensamentos
De todos os filósofos e de todos os poetas.
A luz do sol não sabe o que faz
E por isso não erra e é comum e boa.

Metafísica? Que metafísica têm aquelas árvores?
A de serem verdes e copadas e de terem ramos
E a de dar fruto na sua hora, o que não nos faz pensar,
A nós, que não sabemos dar por elas.
Mas que melhor metafísica que a delas,
Que é a de não saber para que vivem
Nem saber que o não sabem?

“Constituição íntima das cousas”…
“Sentido íntimo do Universo”…
Tudo isto é falso, tudo isto não quer dizer nada.
É incrível que se possa pensar em cousas dessas.
É como pensar em razões e fins
Quando o começo da manhã está raiando, e pelos lados das árvores
Um vago ouro lustroso vai perdendo a escuridão.

Pensar no sentido íntimo das cousas
É acrescentado, como pensar na saúde
Ou levar um copo à água das fontes.

O único sentido íntimo das cousas
É elas não terem sentido íntimo nenhum.
Não acredito em Deus porque nunca o vi.
Se ele quisesse que eu acreditasse nele,
Sem dúvida que viria falar comigo
E entraria pela minha porta dentro
Dizendo-me, Aqui estou!

(Isto é talvez ridículo aos ouvidos
De quem, por não saber o que é olhar para as cousas,
Não compreende quem fala delas
Com o modo de falar que reparar para elas ensina.)

Mas se Deus é as flores e as árvores
E os montes e sol e o luar,
Então acredito nele,
Então acredito nele a toda a hora,
E a minha vida é toda uma oração e uma missa,
E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos.

Mas se Deus é as árvores e as flores
E os montes e o luar e o sol,
Para que lhe chamo eu Deus?
Chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar;
Porque, se ele se fez, para eu o ver,
Sol e luar e flores e árvores e montes,
Se ele me aparece como sendo árvores e montes
E luar e sol e flores,
É que ele quer que eu o conheça
Como árvores e montes e flores e luar e sol.

E por isso eu obedeço-lhe,
(Que mais sei eu de Deus que Deus de si próprio?).
Obedeço-lhe a viver, espontaneamente,
Como quem abre os olhos e vê,
E chamo-lhe luar e sol e flores e árvores e montes,
E amo-o sem pensar nele,
E penso-o vendo e ouvindo,
E ando com ele a toda a hora.

postado por em 27-08-2006
Compartilhar

15 Comentários para “O Guardador de Rebanhos, V”


  1. gabrielle disse:

    primeiro DEUS não tem motivo para ti provar nada você não tem noção do poder de Deus sobre nós cala-te e escute que deus é maior do que qualquer coisa na terra sem ele você nem existiria tente agradecer a deus por tudo que tem e não duvidar dele apenas porque nunca o viu isso não se faz se torna vergonhoso para todos termos uma pessoas que uas seu talento não para ajudar as pessoas mas sim para fazer criticas sem noção deus não é um ser humano para que se veja mas sim es tão grande o sua presença vale mas que qualquer imagem tente mudar essa forma de pensar!!!!!


  2. Juliana Flores disse:

    Não entendi bem essa gabrielle..ela está achando que o autor do poema é tu Diego? Meu Deus…não pode ser isso!!!
    E porque não podemos duvidar da existência de Deus? Não temos liberdade pra isso então? O mais engraçado é que o poema chega a ser uma afirmação da existência divina!!! Há que se saber ler!!!


  3. Yasmim disse:

    Pra mim, não houve dúvida da existência de Deus. Ele só olha a figura de Deus de uma maneira diferente, o que eu até concordo que seja a certa se pensarmos melhor: Deus está presente através da natureza. É isso que ele quis dizer.
    Fernando Pessoa era genial.


  4. O Guardador de Rebanhos, V « B r i s a n d o o disse:

    […] Fonte: blog dos poetas […]


  5. Ju Dacoregio disse:

    Bah, haja paciência né… Alguém posta um poema sublime e uma crente louca já vem espumando em defesa de Deus…


  6. sara disse:

    A.quem sabe diferenciar entre poema e textos comums,o fato de alguem ter religião não difere se a pessoa connhece o que é poemas ou textos rotos,eu por exemplo sou evangelica e amante dos poemas esse cujo acabei de ler novamente é muito adimiro mais é claro que uma pessoa que ñ sabe o que é póema e tambem não saiba interpretar não vai entender coisa alguma e isso independe de ter crençã ou religião.


  7. felipa disse:

    Sou portuguesa mas tenho a confessar que só conheçi a obra de Pessoa muito recentemente (há cerca de quatro anos). Sou católica e leio as poesias de Caeiro apreciando-as como são: obras poéticas grandiosas. Todos temos dúvidas, todos temos incertezas acerca de Deus, mas o maravilhoso em tudo isso é que somos apenas humanos, criaturas de Deus. E a poesia é isso mesmo, um encontro e desencontro de sentidos. Um abraço.


  8. Emilly disse:

    Que ridículo ,isso é um poema ou uma opinião do autor,que Deus tenha piedade de você,ele nunca vai aparecer a você, porque ele não precisa nem um pouco da sua insignificância


  9. Josane Martins disse:

    Amar a Deus é como gerar um filho, você não o vê, mais o senti dentro de você, não conhece o seu rosto e independente disto o ama intensamente.


  10. mirela disse:

    é uma pena o fanatismo religioso.além dessa gabrielle aí de cima não ter entendido o poema,ela ainda não percebeu q vivemos num estado laico,e,além disso não podemos julgar os ateus como diferentes ou inferiores.Chega de ignorância ,né gente!

    esse heterônimo de fernando pessoa é realmente genial !
    ver e ouvir a realidade e não ir além disso!


  11. bruno disse:

    poema f*da… eu que gosto de metafisica e pensar nas coisas tenho q dar o braço a torcer… essa fita ai zem pragmatica que o autor coloca, achei de uma logica f*dida… muito bom… f*de com as invençoes de religioes, sistemas filosoficos complexos, eh simples, eh intenso, e sobretudo de uma realidade tangivel… muito bom… ADORO


  12. maria clementina disse:

    Lindo , belíssimo ,o Guadador de rebanhos é o meu poema preferido do genial heterônimo de Fernando Pessoa, muita filosofia e Deus está realmente em tudo ,na Natureza e em nós , é só senti-lo.


  13. TÂNIA GAMA disse:

    O Guardador de Rebanhos é incrível,
    igualmente o seu autor.
    E um blog que incentiva a leitura, principalmente, a poesia. Só pode ser
    nota 10!
    Parabéns, Diego Eis, pelo inteligente blog!
    De uma paraense, funcionária pública da
    cidade de Belém do Pará.


  14. Teologia (somente leitura) « Andy Moreno’s Blog disse:

    […] Eu poderia dizer de pronto a resposta, mas não soaria racional, e sim um misticismo poético de Caeiro. E, embora o tivesse lido antes de concluir a terceira característica de minha fé, o texto só me […]


  15. mara disse:

    vc já parou pra se pergunta como chagou aki?vc acha que foi quem q te trouxe ao mundo? se
    ñ foi Deus quem foi? tai tbm quero saber a tua resposta Diego.

Deixe Seu Comentário