Blog dos Poetas

Num Leque

de

Na gaze loura deste leque adeja
Não sei que aroma místico e encantado…
Doce morena! Abençoado seja
O doce aroma de teu leque amado

Quando o entreabres, a sorrir, na Igreja,
O templo inteiro fica embalsamado…
Até minh’alma carinhosa o beija,
Como a toalha de um altar sagrado.

E enquanto o aroma inebriante voa,
Unido aos hinos que, no coro, entoa
A voz de um órgão soluçando dores,

Só me parece que o choroso canto
Sobe da gaze de teu leque santo,
Cheio de luz e de perfume e flores!

postado por em 15-11-2010
Compartilhar

3 Comentários para “Num Leque”


  1. Miguel Afonso disse:

    Um belíssimo soneto!


  2. rodolfo de paula ferlin gualda disse:

    A poesia transcende o tempo…esta sempre atual…


  3. EDILOY A C FERRARO disse:

    …doces versos este soneto nos traz, no aparente e trivial gesto de abrir um leque, a alma poeta, em delírios, nos apraz com palavras que encantam e ornam um canto de deleites na leitura, genial e sensível !

Deixe Seu Comentário