Blog dos Poetas

Noturno

de

Suspiro do vento,
lágrima do mar,
este tormento
ainda pode acabar?

De dia e de noite,
meu sonho combate:
vem sombras, vão sombras,
não há quem o mate!

Suspiro do vento,
lágrima do mar,
as armas que invento
são aromas no ar!

Mandai-me soldados
de estirpe mais forte,
com todas as armas
que levam à morte!

Suspiro do vento,
lágrima do mar,
meu pensamento
não sabe matar!

Mandai-me esse arcanjo
de verde cavalo,
que desça a este campo
a desbaratá-lo!

Suspiro do vento,
lágrima do mar,
que leve esse arcanjo meu longo tormento,
e também a mim, para o acompanhar!

postado por em 27-01-2013
Compartilhar

3 Comentários para “Noturno”


  1. EDILOY A C FERRARO disse:

    Um lamento em versos cadenciados, a sutileza e beleza de uma sensibilidade singular e magistral, eterna poetisa….


  2. eliene lopes disse:

    amo muito os poemas da cecilia meireles todos ao muito lindos
    tbm sou poeta e mim isnpiro muito nela


  3. G disse:

    Interessante e intrigante ao mesmo tempo Cecilia sabia cativar o público com frases simples e sinceras que entram direto na alma.

Deixe Seu Comentário