Blog dos Poetas

No Campo

de

Tarde. Um arroio canta pela umbrosa
Estrada; as águas límpidas alvejam
Com cristais. Aragem suspirosa
Agita os roseirais que ali vicejam.

No alto, entretanto, os astros rumorejam
Um presságio de noute luminosa
E ei-la que assoma – a Louca tenebrosa,
Branca, emergindo às trevas que a negrejam.

Chora a corrente múrmura, e, à dolente
Unção da noute, as flores também choram
Num chuveiro de pétalas, nitente,

Pendem e caem – os roseirais descoram
E elas bóiam no pranto da corrente
Que as rosas, ao luar, chorando enfloram.

postado por em 08-11-2009
Compartilhar

3 Comentários para “No Campo”


  1. Simone disse:

    Blogueiros está faltando ALICE RUIZ. Seria um prazer para todos que amam poesia tê-la por aqui. Abraços


  2. EDILOY A C FERRARO disse:

    …de uma sensibilidade inquietante, Augusto dos Anjos, diante a uma paisagem que descreve com fino requinte, inocula, habilmente, a sua visão de melancolia e tristeza…


  3. credo disse:

    Minha nossa num sei como q tem gente q pode gostar desse tipo de poesia só passei por aqui pq num quero tirar nota baixa em literatura…
    mas apesar de eu nao gostar tem mta gente q gosta e esse site esta de parabéns continuem melhorando cada vez mais

Deixe Seu Comentário