Blog dos Poetas

Não sei distinguir no céu as várias constelações

de

Se dizem meu nome, atendo por hábito.
Que nome é meu?
Ignoro tudo.

Quando alguém diz que sabe alguma coisa,
fico perplexa:
ou estará enganado, ou é um farsante
-ou somente eu ignoro e me ignoro desta maneira?

E os homens combatem pelo que julgam saber.
E eu, que estudo tanto,
inclino a cabeça sem ilusões
e a minha ignorância enche-me de lágrimas as mãos.
(…)

postado por em 19-07-2006
Compartilhar