Blog dos Poetas

Metade

de

Eu perco o chão
Eu não acho as palavras
Eu ando tão triste
Eu ando pela sala
Eu perco a hora
Eu chego no fim
Eu deixo a porta aberta
Eu não moro mais em mim
Eu perco as chaves de casa
Eu perco o freio
Estou em milhares de cacos
Eu estou ao meio
Onde será que você está agora?

postado por em 05-09-2003
Compartilhar

12 Comentários para “Metade”


  1. Carol disse:

    Noooooossa, eu amo essa música…só por esse trecho me lembrei da música!!!
    É realmente liiinda!!!

    Mto bom gosto de quem à postol!!!


  2. gabrielle disse:

    bem essa poeta não tem amor pelo , que faz não sinto emoção ao ler seus poemas se torna algo frio e sem sentido me sinto perdido ao ler tudo que ela escreve ser poeta é ter emoção pelo que se faz não escrever para ler apenas e registrar aquele curto momento.


  3. Gabriel disse:

    Adriana
    (Autoria de Sandro Kretus)

    Deixa o tempo passar
    Deixa a Adriana cantar
    No teu ouvido
    Uma linda canção
    No ar vai soprar
    A poesia
    De um belo
    Som ao vivo
    Fados
    Casos
    Amores
    Discos arranhados
    Telas
    Pactos
    Sabores
    Corações despedaçados
    Deixa a Adriana cantar
    Deixa a Adriana tocar
    O teu sentido
    Deixa a Adriana dançar
    Deixa a Adriana te amar
    Deixa a Adriana Calcanhotar
    No teu ouvido

    Do livro: Interlúdio

    http://recantodasletras.uol.com.br/e-livros/1098646


  4. renee garcia nimo disse:

    Metade…
    Meu Deus, essa letra é o retrato vivo do abandono!Só quem já morreu de amor um dia sabe que a paixão nos modifica, que mudamos a roupagem da alma para cativar a quem amamos e que nos afastamos de nos mesmos. A procura do nosso eu, perdido nos descaminhos desse sonho que acabou, passeia pelas palavras dessa musica: desequilíbrio, tristeza, dor e saudade. Como juntar meus “milhares de cacos” se “eu estou ao meio? E” como calar a voz do coração que pergunta: “Onde será que você está agora?” A mensagem dessa letra é tão real, que nos mostra uma Adriana, que já viveu muitas mortes, mas que preservou sua alma de veludo. Simplesmente linda!


  5. Ediloy Antonio Carlos Ferraro disse:

    …há textos que nos oferece reflexões, são insinuações no ar a serem decifradas, sentidas… lendo este poema difícil fica parecer não ouvi-lo, devido à voz da intérprete, lindissima, e à música. Mas se detendo somente sobre a letra, por si ela abre perspectivas de reflexões pungentes, ela não fecha seu tema,não induz o leitor, é uma proposta aberta….


  6. rick disse:

    Esta música,é linda!
    É REALMENTE de mais!!!


  7. ANNA disse:

    REALMENTE MARAVILHOSA…ESTOU ME LENDO NESSE POEMA,NADA PARECE ESTAR NO LUGAR;QUANDO VC SE DESCOBRE SOZINHA…TAMBEM ESTOU JUNTANDO OS MEUS CACOS.EU JÁ ESQUECI A PORTA ABERTA EU AINDA ME PERGUNTO:AONDE ESTÁ VC?


  8. Beatriz disse:

    Gostei muito do poema porque ele descreve perfeitamente a minha vida social ,mas não so a minha e de muitas outras pessoas.
    bjs.


  9. Esdras Martins disse:

    Olá Beatriz, tudo bem? Teremos um evento Dia Nacional da Poesia – muito descontraído no próximo sábado 12 de março. Onde, como e para quem da comunidade de poetas e cantores poderíamos divulgar ? abraços..


  10. gisele disse:

    nossa tem pessoas que tem o prazer de ser chata de fazer comentarios negativos,são pessoas que nao sabe oque e o amor e isso a adriana SOUBE fazer bem em suas composições e poesias parabens adriana voce e uma musa da musica e letra voce ja enbalou varios corações


  11. isabella mello disse:

    Linda, em poucas palavras ela consegue expressar a intensidade da paixão e da dor. Quem já amou de verdade e já experimentou a loucura de uma paixão e teve que juntar os cacos se identifica…eu não acho as palavras..


  12. marie e samara disse:

    achamos q esse poema ñ tem nenhum sentimento; nenhum sentido…

Deixe Seu Comentário