Blog dos Poetas

Lua Doida

de

Assim como a lua vela
No céu e dentro do arroio
Você também se revela
Na janela e no meu olho
Não sei dizer, na verdade,
Quem é que reflete quem
O céu sem lua é saudade
Sem você não sou ninguém

A tua imagem dentro do olhar
E a lua doida mudando no alto
São feitas cachoeira dando o salto
Enganam que são distantes e tão frias
Pra seduzir
Sabem ficar
Sabem partir

Teu coração lua cheia
Me diz cada vez que choro
Igual a esfinge na areia
Me decifra ou te devoro
Mas eu quedo enfeitiçada
Feito os peixes no vau do arroio
Com o teu perfil debruçado
Na janela do meu olho

postado por em 01-04-2010
Compartilhar

6 Comentários para “Lua Doida”


  1. dorinha disse:

    Oi Célia… Gostei do poema publicado, e gostei também do blog em si! Também adoro escrever, e talvez para mim q estou entrando nesse mundo de blogueira agora, seja emportante trocar textos e comentários!


  2. EDILOY A C FERRARO disse:

    …como brinca com as palavras, este compositor/poeta, nas analogias que traz, embelezando suas figuras, enaltecendo a lira, rica, reflexiva e intensa, belezas trazidas no jingo de seus versos…feliz escolha, Célia, aos brindar com Aldir Blanc, que tantas canções compôs e hinos que marcaram gerações…APLAUSOS !!!


  3. Teresa disse:

    Oi Célia, parabéns pela escolha da poesia, um lindo texto escolhido por você, onde o poeta brinca com as palavras e ao mesmo tempo mexe com a emoção do leitor… Gostei demais.
    Obrigado e abraços…


  4. Li disse:

    “Eu sou a borboleta mais vadia na doce flor da sua hipocrisia” (Aldir Blanc)
    Bela Escolha! 😀


  5. Rubem Dutra disse:

    Célia esse nossos olhos imaginarios é maravilhosos sempre está há nos renovar, e tambem sabe nos enganar muito bem, e nos faz cada vigem alucinantee inesqueciveis.


  6. Rubem Dutra disse:

    Célia esse nossos olhos imaginarios é maravilhosos sempre está há nos renovar, e tambem sabe nos enganar muito bem, e nos faz cada vigem alucinante e inesqueciveis.

Deixe Seu Comentário