Blog dos Poetas

Língua Portuguesa

de

Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela…

Amo-te assim, desconhecida e obscura,
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela
E o arrolo da saudade e da ternura!

Amo o teu viço agreste e o teu aroma
De virgens selvas e de oceano largo!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,

Em que da voz materna ouvi: “meu filho!”
E em que Camões chorou, no exílio amargo,
O gênio sem ventura e o amor sem brilho!

postado por em 25-07-2006
Compartilhar

7 Comentários para “Língua Portuguesa”


  1. Luana Camila Silva Nascimento disse:

    MUITO LUXINHO O SONETO DE OLAVO BILAC


  2. augustu disse:

    muita varzea


  3. KAIQUE disse:

    eu ache isso nada a ver com nada pelo amor d deus vai aprender a fazer POEMAS OBRIGADO………


  4. José Ailton Teixeira Paulo disse:

    Lamentável, ninguem entendeu nada. Que pena?? – Eles devem ser jovens, ainda temos esperança.


  5. Erick disse:

    Se for para falar m*rda, por favor não comentem. Ou melhor, saiam do site. A ignorância de muitos pode ser remediada com o silêncio.

    Aquele abraço


  6. valadares disse:

    se alguém não sabe…nessa ´poesia, a frase: A ÚLTIMA FLOR DO LÁCIO, INCULTA E BELA, é por assim dizer umas das mais belas da língua portuguesa. `Comparada a seguinte frase: RAIA SANGUINEA E FRESCA MADRUGADA.
    abraço do casual leitor.
    valadares.


  7. Marcos disse:

    Descobri por esses dias um site com livros em pdf de poesias.

    No Link: http://www.elivros-gratis.net/elivros-gratis-poesias-e-poemas.asp

    Fica a dica!

Deixe Seu Comentário