Blog dos Poetas

Ingratidão

de

Nunca mais me esqueci!… Eu era criança
E em meu velho quintal, ao sol-nascente,
Plantei, com a minha mão ingênua e mansa,
Uma linda amendoeira adolescente.

Era a mais rútila e íntima esperança…
Cresceu… cresceu… e aos poucos, suavemente,
Pendeu os ramos sobre um muro em frente
E foi frutificar na vizinhança…

Daí por diante, pela vida inteira,
Todas as grandes árvores que em minhas
Terras, num sonho esplêndido semeio,

Como aquela magnífica amendoeira,
E florescem nas chácaras vizinhas
E vão dar frutos no pomar alheio…

postado por em 10-12-2008
Compartilhar

3 Comentários para “Ingratidão”


  1. Antonio de Azevedo Silva disse:

    Simplismente antologica a poesia Ingraditão….


  2. Antonio Carlos da Silva disse:

    Nas minhas aventuras pela poesia, sempre gostei de sonetos, cuja métrica, adiciona música ao texto.
    Raul de Leôni foi um de meus inspiradores.
    Textos profundos e, ao mesmo tempo suaves.


  3. EDILOY A C FERRARO disse:

    Não me recordo tê-lo lido antes, mas, confesso, adorei sua narrativa, sua lição de vida em versos encantadores…

Deixe Seu Comentário