Blog dos Poetas

Inconstância

de

Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
Depois da Luz se segue a noite escura,
Em tristes sombras morre a formosura,
Em contínuas tristezas a alegria.

Porém, se acaba o Sol, por que nascia?
Se é tão formosa a Luz, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto da pena assim se fia?

Mas no Sol, e na Luz falte a firmeza,
Na formosura não se dê constância,
E na alegria sinta-se tristeza.

Começa o mundo enfim pela ignorância,
E tem qualquer dos bens por natureza
A firmeza somente na inconstância.

postado por em 13-11-2011
Compartilhar

3 Comentários para “Inconstância”


  1. EDILOY A C FERRARO disse:

    Belo soneto, utilizando-se os contrapontos para desfilar seus lamentos, trazendo-nos
    reflexões nas antíteses entre a luz e a treva…


  2. Ricardo disse:

    A luz é perfeita e formosa, e a escuridão somente reforça isso a cada manhã.
    Luz radiante que se torna mais pela quando vem a escuridão.
    A tristeza poli ainda mais o brilho da alegria, sem ela a vida não seria vida, seria apenas continuidade.
    A luz é maravilhosa, mas sou grato a Deus pelos momentos de lutas, de escuridão, pois nos torna mais agradecidos pelas bênçãos que tantas vezes recebemos, e que muitas vezes não notamos.


  3. Heron disse:

    Gostaria que dessem uma olhadinha em minhas poesias simples. Aplico neles um modelo informal e com poucos padrões! Está visível em: hpoetexts.blogspot.com.

Deixe Seu Comentário