Blog dos Poetas

Este Inferno de Amar

de

Este inferno de amar – como eu amo! –
Quem mo pôs aqui n’alma… quem foi?
Esta chama que alenta e consome,
Que é vida – e que a vida destrói –
    Como é que se veio a atear,
    Quando, ai, quando se há-de ela apagar?

Eu não sei, não me lembra: o passado,
A outra vida que dantes vivi
Era um sonho talvez… – foi um sonho –
Em paz tão serena a dormi!
    Oh! que doce era aquele sonhar…
    Quem me veio, ai de mim, despertar?

Só me lembra que um dia formoso
Eu passei… dava o sol tanta luz!
E os meus olhos, que vagos giravam,
Em seus olhos ardentes os pus.
    Que fez ela? eu que fiz? – Não o sei;
    Mas nessa hora a viver comecei…

postado por em 23-05-2002
Compartilhar

6 Comentários para “Este Inferno de Amar”


  1. rosely disse:

    com certeza o sentido da vida é o amor..


  2. Luíza disse:

    Muito lindo, é um dos meus poemas preferidos…


  3. leidyane disse:

    esse poema é lindo!
    é meu poema predileto.


  4. anonimo disse:

    e lindo eu amei mas minnimas nao se zngaem mas ele e meu tio


  5. Felipa disse:

    Desculpe, anónimo, mas quem é mesmo seu tio? Almeida Garrett?!


  6. IALMAR PIO SCHNEIDER disse:

    AMOR SEM FIM
    I
    Quando eu te vi pela primeira vez,
    Na minh´alma senti uma ternura,
    Que terminou a solidão de vez,
    E elevou-me nos picos das alturas.
    II
    Se tu desprezas o meu amor sem fim,
    E não me amas pra sempre e toda a vida,
    Me diga logo que iludir a mim,
    É deixar-me sem a alma e sem a vida.
    III
    O meu martírio só virá profundo
    Se tu me desprezar. Eu irei p´ros fundos
    Se me deixar sofrendo neste mundo.
    IV
    Irei pr´os fundos quer dizer morrer.
    Pois só morrendo vou sair do mundo
    Talvez nem assim posso te esquecer.

    IALMAR PIO SCHNEIDER

Deixe Seu Comentário