Blog dos Poetas

Elogio da Espiritualidade

de

(a Charlotte Bronte)

Não digas que os meus seios
são duas rolas brancas,
cansadas de não partir…
ou que o meu corpo
é um fruto quente e bom,
que em noites de verão,
apetece morder e ferir…
Não digas que os meus lábios
são promessas de desejos
mal contidos,
ou que os meus cabelos soltos
lembram os afagos ligeiros
dos dias não cumpridos…

que as tuas mãos saibam colher
aquilo que não foi…

E tu venhas antes p’ra me dizer,
que a minha sensibilidade
é trémula e franzina,
como a graça
de uma flor-menina…
que a minha inteligência
é funda e nua,
como as noites que não tiveram lua,
e que a minha vontade,
é tão forte e tão plena,
que só o teu amor,
a condena!…

postado por em 01-10-2018
Compartilhar