Blog dos Poetas

Doce contentamento já passado

de

Doce contentamento já passado,
em que todo o meu bem já consistia,
quem vos levou de minha companhia
e me deixou de vós tão apartado?

Quem cuidou que se visse neste estado
naquelas breves horas de alegria,
quando minha ventura consentia
que de enganos vivesse meu cuidado?

Fortuna minha foi cruel e dura
aquela que causou meu perdimento,
com a qual ninguém pode ter cautela.

Nem se engane nenhuma criatura,
que não pode nenhum impedimento
fugir do que lhe ordena sua estrela.

postado por em 21-01-2008
Compartilhar

1 Comentário para “Doce contentamento já passado”


  1. Alexandre disse:

    Um dia deixarei de escrever os teus sonetos
    E há tempos sei que o tempo chegaria.
    Amei-te tanto entre a paixão e o desconcerto,
    Amei-te em abraços e ausências e todavia.

    Teus gestos tão suaves ao nascer do dia,
    O chá servido no modo mais correto,
    Tua nudez matinal, teu pele macia.
    Tão devagar me acerco e nada mais peço.

    Nas tuas formas brancas de fúria e encanto
    Encontro a luz que alimenta o verso
    E nele as palavras do mais finito canto.

    E como se apagam toda chama e todo afeto
    E como em poesia é tudo farsa e desencanto
    Só me resta escrever teu último soneto.

    alexsartorelli.blogspot.com

Deixe Seu Comentário