Blog dos Poetas

Delírio

de

No parque morno, um perfumista oculto
ordenha heliotrópios…
Deixa aberta a janela…

Minhas mãos sabem de cor o teu corpo,
e a alcova é morna…
Apaguemos a luz…

Não sentes na tua boca
um gosto de papoulas?…

Passa o lenço de seda de tuas mãos
sobre minha fronte,
e não me digas nada:
a febre está, baixinho, ao meu ouvido,
falando de ti….

postado por em 05-10-2006
Compartilhar

6 Comentários para “Delírio”


  1. clara disse:

    esse poema faz parte da literatura de cordel ??


  2. Ederson Peka disse:

    Não.


  3. Rosana disse:

    Guimarães Rosa pra mim é um segundo Deus.Pois os Poemas dele toca em minha alma e muito..Choro só de ler…|Sou muito grata por um Dia existir Guimarães Rosa…


  4. Wiliam disse:

    kkkkkkkkk


  5. Thaís Albino cassiano disse:

    – poema muito , tenho que fazer trabalho sobre ele , e aqui achei as coisa que queria , esse site é mara.vilhoso ‘


  6. Lc disse:

    “Não é facil viver entre os insanos” Será que alguém intendeu?

Deixe Seu Comentário