Blog dos Poetas

Canção do Amor Imprevisto

de

Eu sou um homem fechado.
O mundo me tornou egoísta e mau.
E a minha poesia é um vício triste,
Desesperado e solitário
Que eu faço tudo por abafar.

Mas tu apareceste com a tua boca fresca de madrugada,
Com o teu passo leve,
Com esses teus cabelos…

E o homem taciturno ficou imóvel, sem compreender
nada, numa alegria atônita…

A súbita, a dolorosa alegria de um espantalho inútil
Aonde viessem pousar os passarinhos.

postado por em 25-03-2007
Compartilhar

2 Comentários para “Canção do Amor Imprevisto”


  1. disse:

    com absoluta certeza é o poema mais lindo que já li!


  2. Rafaella disse:

    Queria eu, um dia, escrever com essa profundidade.Nessa poesia, ele disse tudo.

Deixe Seu Comentário