Blog dos Poetas

Ao Amor Antigo

de

O amor antigo vive de si mesmo,
Não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige nem pede. Nada espera,
Mas do destino vão nega a sentença.

O amor antigo tem raízes fundas,
Feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
E por estas suplanta a natureza.

Se em toda parte o tempo desmorona
Aquilo que foi grande e deslumbrante,
O antigo amor, porém, nunca fenece
E a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
E resplandece no seu canto obscuro,
Tanto mais velho quanto mais amor.

postado por em 28-09-2003
Compartilhar

4 Comentários para “Ao Amor Antigo”


  1. BSH disse:

    Parabéns pelo blog. É brilhante

    http://desabafos-solitarios.blogspot.com/
    http://paixoes-longinquas.blogs.sapo.pt/
    http://desabafos-solitarios.blogs.sapo.pt/


  2. Adriana Janaína Poeta disse:

    Todo poeta que transborda e busca revelar através da palavra o sentimento
    merece nossa atenção.Divulgar a poesia é ser meio anjo.Ter asas para voar e ser capaz de caminhar sentindo todas as sensações do mundo,na pele e na alma. O poeta Carlos Drummond de Andrade sabia traduzir o amor como poucos.


  3. almira disse:

    estraordinario como eles conseguem colocar em palavrsa tão sublimes sentimentos!


  4. Alysson disse:

    lindo esse poema!

Deixe Seu Comentário