Blog dos Poetas

Amor e religião

de

Conheci-o: era um padre, um desses santos
Sacerdotes da Fé de crença pura,
Da sua fala na eternal doçura
Falava o coração. Quantos, oh! Quantos

Ouviram dele frases de candura
Que d’infelizes enxugavam prantos!
E como alegres não ficaram tantos
Corações sem prazer e sem ventura!

No entanto dizem que este padre amara.
Morrera um dia desvairado, estulto,
Su’alma livre para o Céu se alara.

E Deus lhe disse: “És duas vezes santo,
Pois se da Religião fizeste culto,
Foste do amor o mártir sacrossanto.”

postado por em 25-09-2011
Compartilhar

1 Comentário para “Amor e religião”


  1. EDILOY A C FERRARO disse:

    Deixando a verve incendiária e mordaz, de fina ironia que o caracteriza, brincando em reflexões sobre a efemeridade da existência, nestes versos o encontro em elogiosa atitude, narrando virtudes que sobrepujam a matéria…

Deixe Seu Comentário