Blog dos Poetas

Amor e Crença

de

E sê bendita!
H. Sienkiewicz

Sabes que é Deus?! Esse infinito e santo
Ser que preside e rege os outros seres,
Que os encantos e a força dos poderes
Reúne tudo em si, num só encanto?

Esse mistério eterno e sacrossanto,
Essa sublime adoração do crente,
Esse manto de amor doce e clemente
Que lava as dores e que enxuga o pranto?!

Ah! Se queres saber a sua grandeza,
Estende o teu olhar à Natureza,
Fita a cúp’la do Céu santa e infinita!

Deus é o templo do Bem. Na altura Imensa,
O amor é a hóstia que bendiz a Crença,
ama, pois, crê em Deus, e… sê bendita!

postado por em 01-01-2009
Compartilhar

7 Comentários para “Amor e Crença”


  1. soraia disse:

    Poeta de grande inspiraçao….adoro…Augusto dos Anjos..um dos poetas preferidos, e esse poema tambem..por isso vim aqui reler de novo..
    beijos
    ciganita


  2. Rodrigo disse:

    Não entendi, nunca havia lido esse poema.

    Augusto dos Anjos era ateu!


  3. josy disse:

    grande poeta
    como ele existirão poucos
    ele é tão brilhante que nunca conseguirão rotulalo


  4. Célia de Lima disse:

    Achei que um livro que tenho dele contivesse toda a sua obra. E justamente esse soneto, dos mais belos que já li, estou lendo pela primeira vez. É maravilhoso…!

    Abraços, poetinha, dessa sua fã. Bom finzinho de semana, e um ano novo de muitas alegrias. Sempre em Deus 😉


  5. ALESSANDRO disse:

    ESSA É A VERDADEIRA FORÇA DA EXPESSÃO HUMANA


  6. ßorbolet@ @zul disse:

    Versos Íntimos

    Vês?! Ninguém assistiu ao formidável
    Enterro de tua última quimera.
    Somente a ingratidão – esta pantera –
    Foi tua companheira inseparável!

    Acostuma-te à lama que te espera!
    O homem, que, nesta terra miserável,
    Mora, entre feras, sente inevitável
    Necessidade de também ser fera.

    Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
    O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
    A mão que afaga é a mesma que apedreja.

    Se a alguém causa inda pena tua chaga,
    Apedreja essa mão vil que te afaga,
    Escarra nessa boca que te beija!

    – Augusto dos Anjos-


  7. Scarlet disse:

    Essa eu não conhecia. Muito boa. Demonstra que, originalmente, Augusto cria em Deus. Por algum motivo, no decorrer da existência, assumiu a descrença, o ateísmo.

Deixe Seu Comentário