Blog dos Poetas

A Tentação

de

Diante do crucifixo
Eu paro pálido tremendo
“Já que és o Verdadeiro Filho de Deus
Desprega a humanidade desta cruz”.

postado por em 25-12-2011
Compartilhar

11 Comentários para “A Tentação”


  1. EDILOY A C FERRARO disse:

    Poucas palavras de grandes significados, um homem diante da magnificência de uma visão, e frente às suas inquietações e incredualidades…


  2. Flávio Antunes Soares disse:

    Excelente poema. Murilo Mendes falou o que muitos, inclusive eu, gostaria de falar.


  3. TÂNIA GAMA disse:

    Verso forte! Parabéns, pela postagem!
    Desejando a ti, Ediloy um 2012,ainda
    mais surpreendente!


  4. ANA disse:

    gostei acesse esse blog
    http://www.nice-poem.blogspot.com/


  5. João Maria Ludugero disse:

    Olá!
    Passa lá no meu: http://www.ludugero.blogspot.com, se gostar e quiser me seguir, vou gostar de ter por lá seus coments! Abração.
    João


  6. Jorge disse:

    Muito legal, quero mostrar o que escrevo as pessoas, estou tentando divulgar o meu blog:http://attanasiojorge.blogspot.com/

    se tiver curiosidade, Me visite


  7. Heli de Abreu disse:

    Olá, como vai? – talvez goste de algum dos meus poemas, se por acaso gostar mande um e-mail dizendo de qual gostou… té mais


  8. FABIANA disse:

    TRISTE ALMA QUE NÃO CONHECE A DEUS……..IGNORANTE NÃO SABE QUE ELE MORREU NA CRUZ COMO CORDEIRO EXATAMENTE PARA NOS SALVAR, PORÉM A HUMANIDADE NÃO QUER SER SALVA E DEUS NOS DEU LIVRE ARBÍTRIO PARA ESCOLHER ENTRE O BEM E O MAL.


  9. FABIANA disse:

    E PARECE QUE O POETA NÃO RESISTIU A TENTAÇÃO DE CONFRONTAR A DEUS…..ME LEMBRA A PASSAGEM ENTRE JESUS E SATANÁS NO DESERTO, QUANDO ELE DIZ: SE ÉS MESMO DEUS ATIRE-SE DAQUI E OS ANJOS IRÃO SALVÁ-LO, E JESUS SÁBIO RESPONDEU: NÃO SE DEVE TENTAR A DEUS…


  10. Joel Medeiros disse:

    Com um horizonte bem clarinho, eu sonhei.
    Fiquei de um jeito, que nem posso revelar.
    Me perdi nas nuvens, me encontrei no mar.
    E nessa linha me equilibrei e não parei de caminhar.

    Quebrei o muro, abri a porta e adentrei.
    Se me calei, foi pra te dizer que eu notei.
    Que o cego toca só aquilo que quer enxergar.

    Um arco-íris sem cor existe.
    A esperança nunca existiu.
    Toda manhã sempre é triste.
    Todo verão simboliza o frio.

    E o inverno, só traz o calor.
    Todo desastre, traz alegria.
    Toda delícia, não tem sabor.
    Falar do sonho é fantasia.

    Quebrei o muro e abri a porta.

    As cores vivas eu me deparei.
    Com a esperança de encontrar.
    A delícia que eu provei.
    Com o sabor de poder sonhar.


  11. Maria Auxiliadora disse:

    Fabiana. Sou fã de Murilo Mendes inclusive porque tenho ligação familiar com ele e já ouvi muitos comentários sobre sua intensa vivência religiosa como cristão dos mais conscientes. Para mim nesse lindo e sintético poema ele quis expor a tentação que todos nó temos, de agir como Jó, que queria saber o que ele fez para merecer tanta desgraça em sua vida. Olhe só este outro poema que também é difícil de entender mas que demonstra a sua espiritualidade intensa de amor e admiração por Cristo:
    Ao Cristo ressuscitado

    Tu conheces, Amigo, minha caveira.
    Sabes que ela criou pernas e braços,
    Com a força do sol, para abraçar-te,
    e espera que este abraço lhe devolvas.

    Até à morte na Cruz eu te abaixei,
    A ti que ao teu olhar me levantaras,
    Resgatando-me antes de eu nascer,
    És preso, escarnecido, assassinado.

    Breve tua mão ferida me desata
    Do mundo externo, da aparência vã.
    Breve em cinza serei, e tu serás,

    Na rotação do tempo, o Verbo eterno
    Que de antigas origens me trouxeste
    Para alçar-me à novidade da tua cruz.

    ( Murilo Mendes: Poesia completa e prosa.
    Volume único. Rio de janeiro, ed. Nova Aguilar, 1994. Pg 448 )

    Um abraço.

Deixe Seu Comentário