Blog dos Poetas

A Pulga

de

Um sinalzinho preto em teu colo de neve:
Examino se é próprio, ou fingido a nanquim…
Mas o pontinho escuro anima-se; e, ágil, breve,
Salta aqui, salta ali e vem pousar em mim.

Sinto-o no corpo: o inseto, a mais e mais se atreve.
Põe-me um ardor de urtiga em cada poro, e, assim,
Fervo e salto, eu também… Ao seu contacto, leve,
A epiderme é um incêndio, o sangue é um torvelim.

É uma pulga! Tirou-me o bom humor e o agrado!
– Serena perfeição em que a gente se julga,
Morre num sopro: é grão de pó, miga qualquer…

Quanto orgulho se tem despido e desmanchado,
Por um nada, um nadinha, uma pulga!? É que a pulga
Em astúcia é igual à raposa e à mulher…

postado por em 02-04-2013
Compartilhar

4 Comentários para “A Pulga”


  1. Mário Lúcio disse:

    Ótimo soneto, bela escolha das rimas, bem estruturado.

    Se possível me ajude na divulgação do meu livro
    https://www.clubedeautores.com.br/book/143079–Versos_da_Consciencia


  2. EDILOY A C FERRARO disse:

    De um ingênuo instante cria-se uma reflexão sobre a vida, com humor e astúcia…


  3. koruja disse:

    Uma pulga que é algo tão pequeno conseguiu ser o tema para algo tão bonito!

    (to começando um blog também se puder dar uma olhada http://professorkoruja.blogspot.com.br/)


  4. Marcio disse:

    http://cadeirantepoeta.blogspot.com.br/

    Obrigado

Deixe Seu Comentário