Blog dos Poetas

A minha estrela

de

A meu irmão Aprígio dos Anjos

E eu disse – Vai-te, estrela do Passado!
Esconde-te no Azul da Imensidade,
Lá onde nunca chegue esta saudade,
– A sombra deste afeto estiolado.

Disse, e a estrela foi p’ra o Céu subindo,
Minh’alma que de longe a acompanhava,
Viu o adeus que do Céu ela enviava,
E quando ela no Azul foi-se sumindo

Surgia a Aurora – a mágica princesa!
E eu vi o Sol do Céu iluminando
A Catedral da Grande Natureza.

Mas a noute chegou, triste, com ela
Negras sombras também foram chegando,
E nunca mais eu vi a minha estrela!

postado por em 18-12-2011
Compartilhar

8 Comentários para “A minha estrela”


  1. EDILOY A C FERRARO disse:

    Lágrimas nostálgicas debulhadas em versos de intensa beleza, metáforas que espelham a alma do poeta, condoído em dores e reflexões, encantando e emocionando quem o lê.;..Augusto dos Anjos, eterno !!!


  2. TÂNIA GAMA disse:

    Nossa! Poema lindo,escrito com a pena
    da alma!


  3. Ildérica disse:

    Parabéns pelo desabafo poético


  4. Hatsune miku disse:

    Lindo poema profundo amei e tbm espelha o sentimento da perda no poema magico amei


  5. Ivamara disse:

    Augusto dos Anjos é sempre muito peculiar. Sabe transpor no papel seus sentimentos e desejos de uma forma única e escreveu-las contando histórias que se para uns não tem sentindo para outros é a expressão da vida.


  6. liziane disse:

    muito lindo esse poema
    me fez lembrar do meu irmão,que ja não estais mais aqui a 4 anos.
    grande inspiração


  7. Alice Liege disse:

    Lindo *-*


  8. andrea disse:

    profundo!!!ameiiiiiiiiiii

Deixe Seu Comentário