Blog dos Poetas

À Maneira de Olegário Mariano

de

Triste flor de milonga ao abandono,
Betsabé, Betsabé, que mal me fazes!
Ontem, a coqueluche dos rapazes,
E agora? pobre pássaro sem dono.

Primavera e verão foram-se. O outono
Chegou. Folhas no chão… Névoas falazes…
E aí vem o inverno… O fim das lindas frases…
O último sonho, e após, o último sono!

As cigarras calaram-se. Era tarde!
E hoje que no teu sangue já não arde
O fogo em que tanta alma se abrasou,

Choras, sem compreenderes que a saudade
É um bem maior do que a felicidade,
Porque é a felicidade que ficou!

postado por em 22-04-2007
Compartilhar

2 Comentários para “À Maneira de Olegário Mariano”


  1. Renato disse:

    Eu sou Renato,Gostariamos de ter você na nossa Escola:Ideal.Mandaremos noticias do dia


  2. Marília Montanha Pedroso. disse:

    Olegário Mariano Carneiro da Cunha.
    Nascido em Recife (Pernambuco).
    Membro da Academia Brasileira de Letras.
    Trecho da poesia que mais gosto, do poeta Olegário Mariano, intitulada : ” O Enamorado das Rosas “.

    Toda manhã, ao sol, cabelo ao vento,/ Ouvindo a água de fonte que murmura,/ Rego as minhas roseiras com ternura,/ Que água lhes dando, dou-lhes força e alento .

    Magnífica !… como esta, intitulada :
    ” À Maneira de Olegário Mariano”.

Deixe Seu Comentário