Blog dos Poetas

A Dor

de

Chama-se a Dor, e quando passa, enluta
E todo mundo que por ela passa
Há de beber a taça da cicuta
E há de beber até o fim da taça!

Há de beber, enxuto o olhar, enxuta
A face, e o travo há de sentir, e a ameaça
Amarga dessa desgraçada fruta
Que é a fruta amargosa da Desgraça!

E quando o mundo todo paralisa
E quando a multidão toda agoniza,
Ela, inda altiva, ela, inda o olhar sereno

De agonizante multidão rodeada,
Derrama em cada boca envenenada
Mais uma gota do fatal veneno!

postado por em 10-03-2007
Compartilhar

1 Comentário para “A Dor”


  1. arielle disse:

    muito bom.
    augusto tinha uma intimidade unica com as palavras. intimidade essa que o permitia descrever dos mais sordidos pensamentos, à mais profunda dor!!! queria eu ter escrito essa!

Deixe Seu Comentário