Blog dos Poetas

13-12-1933

de

Aguardo, equânime, o que não conheço –
Meu futuro e o de tudo.
No fim tudo será silêncio, salvo
Onde o mar banhar nada.

postado por em 17-08-2006
Compartilhar