Blog dos Poetas

Folha Rubra

de

Meu ser é a comunhão de dois seres diversos.
Dois seres — um, a Carne, outro, o Espírito… E, assim,
esses dois seres — dois pequenos universos —
para castigo meu, se unificaram em mim.

Carne e Espírito… Enquanto o Espírito faz versos
e sonha, a Carne, onde arde o sangue de Caim,
forceja, ousa remir os instintos, imersos
neste letargo, nesta escravidão sem fim.

É o Espírito contra a Carne… A ânsia, a nevrose!…
E eu, morrendo a esperar que a alma se desencarne
e se volatilize a essência em novo ser!…

E o corpo, livre da alma, estremeça, ame, goze
a Carne pela Carne e para a Carne… a Carne
até se decompor e desaparecer!…

postado por em 11-12-2016
Compartilhar

Deixe Seu Comentário